Hospício de Pedro II

da construção à desconstrução

Apresentação

A mostra virtual "Hospício de Pedro II: da construção à desconstrução" é uma iniciativa do Centro Cultural do Ministério da Saúde (CCMS), uma unidade da Coordenação-Geral de Documentação e Informação (CGDI). Objetiva abordar o panorama histórico da Psiquiatria no Brasil, a partir do movimento da elite médica para a criação do primeiro hospício e das Colônias de Alienados na cidade do Rio de Janeiro.

O resultado é um retrato da situação em que se encontravam os loucos desde o início do século XIX a meados do século XX, passando pelas personalidades da Psiquiatria no Brasil e no exterior e pelo movimento político e social que originou a criação do Hospício de Pedro II – um espaço exclusivo de assistência aos chamados loucos, que começavam a ser vistos como doentes, necessitando, portanto, de tratamento médico.

Dentre os fatos relevantes destacam-se a desanexação do hospício da Santa Casa de Misericórdia em 1890, determinando a transferência de sua administração para o Estado, transformando desta forma, o hospício em uma instituição laica. E também a superlotação e as críticas satíricas ao asilo, além do surgimento das colônias de alienados Conde de Mesquita e São Bento, localizadas na Ilha do Governador.

Para a realização deste trabalho, foram coletados documentos textuais e iconográficos pesquisados nos arquivos da Academia Nacional de Medicina (ANM), Arquivo Nacional (AN), Biblioteca Nacional (BN), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), Instituto Municipal Nise da Silveira (IMNS), Instituto Philippe Pinel (IPP) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Foto em sépia e desbotada, como se fosse marca d’água, mostra paisagem conhecida do Pão de Açúcar e da Baía de Botafogo, no Rio de Janeiro. O monte está ao fundo e algumas construções são vistas na parte inferior direita da imagem.

Fonte: Iphan

Créditos

Realização


Ministério da Saúde

Secretaria-Executiva

Subsecretaria de Assuntos Administrativos

Coordenação-Geral de Documentação e Informação

Centro Cultural do Ministério da Saúde

Projeto e Produção Executiva


Jussara Fernandes Valladares

Historiadora Responsável


Jussara Alves Galvão

Consultoria


Laurinda Rosa Maciel – Historiadora

Alessandra Rosa Santos – Psicóloga

Paulo Sérgio da Silva Alencar – Psiquiatra

Revisão e Copidescagem


Mônica Isabel Cordeiro Quiroga

Cláudia Regina da Silva Lobo

Ana Aparecida Soares Ramos

Estagiários


Ana Carolina Francisco de Paula

Glauce Luna Garcia Dulcetti

Guido Coelho de Magalhães Bastos

Jorge de Miranda Teodoro Junior

Kelly Cristina Anastácio Sobrinho

Luciana Pucu Wollmann do Amaral

Pedro Galdino da Silva Neto

Renata Ardions Lopes

Sinara Martins Araújo

Vinicius da Mata Teixeira

Desenhos


Rômulo Bonelli: Esquirol, Teixeira Brandão, Juliano Moreira (acervo Mostra Memória da Loucura – CCMS)

Fotografias


Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)

Instituto Municipal Philippe Pinel (IPP)

Instituto Municipal Nise da Silveira (IMNS)

Website


Rita Loureiro

Apoio


Academia Nacional de Medicina (ANM)

Arquivo Nacional (AN)

Biblioteca Nacional (BN)

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)

Instituto Municipal Philippe Pinel (IPP)

Instituto Municipal Nise da Silveira (IMNS)

Fórum de Ciência e Cultura / Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Instituto de Psiquiatria da UFRJ (IPUB)

Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB)

Agradecimentos


Edmar de Oliveira

José Tavares

Lucinda Caetano

Dirce Nascimento

Ozana Pinheiro

Agradecimentos especiais


Márcia Helena Gonçalves Rollemberg

Shirlei Rodrigues Gonçalves

Eliane Pereira dos Santos

Desenvolvimento do cd-rom


3³ Design

Rafael Willadino Braga

Tiago da Silva Alves

Cecília Bona Pereira


Programação

Marco Gomes

Rafael Willadino Braga


Direção musical e efeitos sonoros

Pablo Bergami


Fonogramas musicais

Romanza, de Carlos Gomes e Prece, de Alberto Nepomuceno – Executadas por Glêsse Collet e Tereza Hezim. CD Brasil Erudito (contato: collet@unb.br);

Apanhei-te cavaquinho, de Ernesto Nazareth – Executada pela Orquestra de Violões de Brasília. CD Contrastes (contato: contato@orquestradevioloes.mus.br );

Atraente, Não insistas rapariga, e Plangente, de Chiquinha Gonzaga – Executadas por Rosária Gatti. CD Chiquinha Gonzaga 150 anos.

Contém trechos de Komm, Jesu, komm, de Johann Sebastian Bach.

Todas as composições são de domínio público, fonogramas gentilmente cedidos pelos executantes.


Narração

Tenisson Ottoni

Veja também