A Exposição




Em 1937, quando da criação do então chamado Centro de Cancerologia, ninguém poderia pensar que a instituição pioneira no combate ao câncer teria uma vida tão longa e profícua, tornando-se referência nacional no controle da doença. Sua criação deveu-se ao aumento da mortalidade pela doença, mas sua vocação ultrapassava – e muito – os limites da assistência. Transformou-se na maior instituição pública de referência no tratamento da doença no País e no centro de desenvolvimento de programas nacionais para o controle do câncer.


Ao longo dos anos, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva expandiu sua atuação nas áreas de assistência, ensino, pesquisa e vigilância do câncer. São 80 anos de ações e projetos inovadores, todos desenvolvidos no âmbito da saúde pública.


Mas o INCA quer fazer mais e ainda melhor. A expectativa é a de concretizar o sonho de ter no seu novo Campus o mais moderno centro de desenvolvimento científico e de inovação para o controle do câncer do Brasil: uma área que vai concentrar todas as atividades do Instituto num só endereço.


Esta exposição, criada em parceria com a Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz e com o Centro Cultural do Ministério da Saúde, resgata a memória histórica e iconográfica do Instituto. Explora as primeiras iniciativas do combate ao câncer no Brasil e registra a contribuição de alguns personagens fundamentais para que o INCA completasse oito décadas de dedicação ao controle do câncer. Apresenta, ainda, o cenário contemporâneo do Instituto que, em consonância com as diretrizes do SUS, procura, de forma inovadora, equânime e universal, vislumbrar seus próximos desafios.