Imóvel inacabado cedido à União para ser a sede definitiva do SNC e do Instituto de Câncer

Conquista da sede própria

Em 1946, em virtude da precariedade de suas instalações, o INCA, alugou uma parte do Hospital Gaffrée e Guinle. Com a nova estrutura foi ampliado o número de leitos e criadas novas seções. Ainda nesse ano, a Prefeitura do Distrito Federal cedeu à União um terreno na Praça Cruz Vermelha, a ser utilizado para a construção de uma sede definitiva para o Instituto de Câncer.


Com a inauguração do novo prédio, em 1957, o Instituto passou a contar com instalações de ponta para a época. No monobloco de 11 andares, com capacidade para 350 leitos, foram instalados novos serviços especializados. Mais que uma mudança de endereço, a nova sede representava um reforço do compromisso dos cancerologistas do Instituto com seu projeto em relação ao câncer.


Hospital Gaffrée Guinle, na Tijuca, ocupado pelo INCA durante a construção de sua sede própria, na Praça Cruz Vermelha.


O imóvel em construção foi ampliado para abrigar a sede definitiva do Serviço Nacional de Câncer e do Instituto de Câncer




O discurso de Ugo Pinheiro Guimarães na solenidade de inauguração do prédio deixa claro a missão que guiaria o Instituto a partir da ocupação do novo prédio.


“Nosso Instituto dispõe de quanto existe de mais avançado para atingir sua finalidade. No âmbito da terapêutica, ao lado das seções cirúrgicas e odontológicas, dotadas de todo o material, possuímos a bomba de cobalto 60, oito aparelhos de radioterapia de alta e baixa voltagem, três gramas de rádio. Agentes quimioterapêuticos de valor cientificamente comprovados são utilizados.


Cultivar-se-á, de mais em mais a experimentação clínica e experimental, para o que tenho distribuído crescentes recursos. Deste modo, não nos esquecemos que o problema do câncer não é apenas médico, mas de biologia, abrangendo as complexas cogitações da genética, da biofísica, da bioquímica, da hormonologia, da imunologia, entre outros.


Aplicaremos e refinaremos, pelo regime de bolsas de estudo e de residência o preparo dos técnicos, função que o SNC se orgulha de vir executando.


Esperamos que nosso Instituto, desempenhando sua missão, seja um foco de irradiação de conhecimentos, de padronizações técnicas, de progresso em múltiplo sentido, médico, de enfermagem e mesmo de administração hospitalar”.


(Guimarães, 1958)