Biografias


Esquirol

Jean-Etienne Dominique Esquirol nasceu em 1772 na cidade de Toulouse e morreu em Paris em 1840. Foi nomeado médico da Salpetrière em 1811 e sua vida profissional é destacada pelo empenho em construir e organizar muitos asilos.

Era discípulo de Pinel e conhecido pela dedicação em continuar a obra do mestre. Para Esquirol a loucura era definida pelo delírio e a lesão incidia sobre a vontade; esta percepção foi considerada, na época, um grande avanço em relação ao trabalho de Pinel, embora utilizasse elementos do tratamento moral. Via na questão do isolamento do paciente uma grande importância para o tratamento eficaz e o justificava atribuindo à presença de parentes e amigos uma das causas da loucura.

Convém lembrar, ainda, o papel fundamental de Esquirol e seus alunos no estabelecimento do sistema institucional e da legislação do campo psiquiátrico, sobretudo com a aprovação de uma lei de 1838, que regulava a assistência aos doentes mentais. A partir desta lei, passaram a ser previstos dois tipos de internação: a voluntária (solicitada em grande parte pelas famílias) e a compulsória (praticada pelo Estado ou pela justiça e tentava conter os loucos mais "agitados" ou indigentes espalhados pelas ruas das cidades). Na verdade, a lei traduziu a subordinação das instituições política, judiciária e familiar à tutela médica e foi bem recebida, elogiada e copiada por vários países. A partir de 1860, no entanto, começou a receber críticas principalmente em relação às internações arbitrárias.



Fonte: Centro Cultural do Ministério da Saúde